Make your own free website on Tripod.com

Ecologia de Populações

Começo | Populações e Evolução | Regulação de Populações | Ecologia de Populações | Avaliaçoes | Definições | Leis | Dinâmica Populacional | Crescimento Populacional | Marcação-Recaptura | Interações | Mapa da mina | Contato
Crescimento Populacional

Qualquer população tem a potencial de crescer exponencialmente porque os nascidos geralmente são mais numerosos que os indivíduos que crescem e reproduzem. Em forma matemática simples: :

C = (n-m) * N
onde C é a taxa do aumento do número de indivíduos, n e m são
as taxas médias de natalidade e mortalidade por indivíduo, respetivamente, e N é o número de indivíduos.
 
Sob condições ótimas, n-m é chamado rmax (a taxa intrínseca de crescimento populacional). Por isso, a capacidade de suporte éfunção da disponibilidade de recursos e de outros fatores, como competidores, predadores, doença, etc.

As curvas de crescimento frequentemente são sigmóide (curva logística):

C = (n-m) * ((K-N)/K)* N

onde K é a capacidade do suporte. Quando N aproxima K, crescimento populacional para.
 
Essa equação é simples demais porque pressupõe que cada indivíduo tem um impacto sobre o crescimento populacional relativo a capacidade do suporte imediatamente após de nascer e mantém esse impacto até a morte. Na verdade, o lag entre o nascimento e reprodução pode resultar numas oscilações de população superiores e inferiores a capacidade do suporte.

Os organismos exibem vários fenômenos relacionados a taxa de natalidade que podem influenciar a dinâmica populacional. Por exemplo, algumas espécies reproduzem uma vez na vida (semelparo) e outros reproduzem mais de uma vez (iteroparo). Como regra geral, quanto mais energia o adulta investe na reprodução, menor a probabilidade do que sobrevive e cresce após a reprodução.

Algumas espécies produzem muitos proles pequenos com uma taxa baixa de sobrevivência até chegar a ser adultos ("estratégia r"); e outras espécies produzem poucos proles grandes com taxas elevadas de sobrevivência ("estratégia K"). Em ambientes competitivos, a seleção natural favorece a estratégia , mas em ambientes flutuantes onde as perturbações criam locais não ocupados numa forma aleatória, é melhor "encontrar um habitat apropriado e sobreviver" (onde a estratégia r é melhor).

O "valor reprodutivo" dos indivíduos às populações em relação a expressão de genes deletério constitua um fenômeno interessante. O valor reprodutivo de um indivíduo é uma medida da contribuição do indivíduo ao crescimento populacional da população. O valor é baixo em indivíduos jovens porque muitos morrem antes da reprodução. Porém, a madurar-se o indivíduo, o valor aumenta. Ao começo da reprodução, o valor reprodutivo do indivíduo aproxima a 0 para o indivíduo pós-reprodutivo. A presença de alelos que retardam a expressão de alelos não desejados aumenta a probabilidade do que o indivíduo terá uma contribuição genética na próxima geração, e é vantajosa ter esses alelos. Porém, do ponto de vista da seleção natural, não há vantagem para alelos ativos nos indivíduos pós-reprodutivos (mas pode ser o oposto). Por isso, os humanos das sociedades industrias modernas experimentam as conseqüências deste fenômeno. Os indivíduos pós-reprodutivos geralmente sofrem de doenças genéticas associadas com o velhice; poucos indivíduos pre-reprodutivos sofrem dessas doenças.



Material para Ecologia de Populações